• 14/04/2017Hoje estará comigo no Paraíso I

    Categoria: Batatinha nas sextas



    Hoje estará comigo no Paraíso I

    Olá... Vocês não devem me conhecer.... sabem apenas que eu existo....

    Eu estive presente em um dos mais importantes acontecimentos da história...eu fui um dos que mais perto ficaram do homem chamado Jesus na sua crucificação.

    Lembro... eu havia sido condenado pelos Romanos a morrer na cruz.  Estava feliz que era sexta-feira, a lei religiosa dos judeus impedia de alguém ficar pendurado na cruz durante o sábado... ainda mais no sábado de Páscoa e como não morreria a tempo, teria mais alguns dias de vida.

    Foi quando soube que na noite de quinta-feira haviam pego um homem chamado Jesus, Jesus de Nazaré, Nazareno, líderes judeus o chamavam de blasfemador e mentiroso, muitos do povo o chamavam de Messias, o Cristo prometido que viria para salvar e instituir o seu reino.

    Eu dava pouco importância para isso.

    Soube que aquela noite foi de muito movimento... até que fora condenado a morte e infelizmente, morte de cruz. Como eu e mais um já estávamos na fila, resolveram matar 3 em uma pancada só para diminuir o trabalho... e lá se foram os meus “alguns dias de vida”, tudo por causa daquele homem que chamavam “Filho de Deus”.

    Voltamos para a sexta-feira, fomos levados para o monte chamado “Gólgota” ou “Caveira”, tinha a silhueta de uma caveira e por isso gostavam de executar crucificações ali... Ficava bem perto do portão de entrada da cidade, assim todos poderiam ver.

    Por volta das 9 horas da manhã estávamos sendo levantados.... Eu, o outro ladrão, e o tal Jesus. A princípio estava chateado já que me tirará os dias a mais.... Comecei a Falar mal dele assim como todos em volta...

    Mas o tempo foi passando... vi algo estranho.

    Já tinha testemunhado mortes assim e todos os crucificados enquanto ainda tinham forças, as usavam para falar palavrões, amaldiçoar as pessoas, cuspir naqueles que estavam em volta.

    Ele porém ficou em silêncio........ E assim permaneceu até que disse:

    “Pai, perdoa-lhes porque eles não sabem o que fazem”

    Aquilo me deixou profundamente perturbado, como pode alguém naquele situação pedir perdão para os seus ofensores. E não eram apenas os soldados romanos, eram os lideres judeus que riam, eram as pessoas zombavam. Comecei a mudar minha atitude em relação a ele.

    Tinha uma mulher perto, bem perto, suspeitei ser a mãe ou alguma parente próxima já que os soldados não permitiam qualquer pessoa se aproximar tanto...  Junto com ela estava um jovem rapaz.

    Ele olhou para mulher e disse:

    “Mulher, eis aí o teu filho”

    Em seguida deu a ordem para o rapaz...

    “Filho, eis aí tua Mãe”

    O jovem a tomou pelo braço e a levou dali. Ele ficou em silencio por mais algum tempo como se tivesse totalmente só. Aqueles que haviam andado com ele estavam olhando de longe com medo, a sua mãe e seu amigo haviam saído... estava sozinho.... mas confesso a vocês que fiquei arrepiado quando ele disse:

    “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?”

    Ele dizia que o próprio Deus o havia abandonado. Mas não era ele o Filho... e do filho foi tirada a graça, ele tornou-se um desgraçado, e por que? Me perguntei várias vezes e aquilo mexeu com minha cabeça.

    Ele não falou não amaldiçoou a ninguém... pelo contrário, pediu que fossem perdoados, ele aceitou, se preocupou com sua mãe... tinha que ter alguém diferente.  As pessoas continuavam a dizer coisas para ele. O sol se apagou e o dia virou uma noite escura.... tinha que ter alguma coisa a ver com o seu reino.

    Diziam para descer da cruz, diziam para salvar a si mesmo já que salvou outros...  ele não falou nada... então fui tocado... tocado por Deus. Ele estava sozinho mas Deus me tirou das trevas para que pudesse fazer algo bom, mostrar que até ali naquele sofrimento Deus colocará alguém com ele.

    O outro que havia sido crucificado também falava mal dele e eu vendo tudo o que havia feito parei de xingar, Deus me fez entender que aquele realmente era um rei e o que o seu reino  era assim com tanto amor e paz, eu precisava fazer parte dele.

    Então nas forças que restavam disse ao outro crucificado:  O que está fazendo, tá louco, nós merecemos estar aqui, mas este homem... nada fez para estar morrendo como nós.

    Tentei olhar para ele, mas era uma visão medonha, estava ensanguentado pela surra, e disse: Lembra-te de mim quando vieres no teu reino.

    Para minha surpresa eu obtive uma pronta resposta, para minha grata surpresa naquele momento de suma tristeza recebi algo que lembrarei eternamente:

    “Em verdade vos digo que hoje mesmo estarás comigo no Paraíso”.

    Isso me aliviou, mas ele ainda estava sofrendo, e como todo crucificado as dores musculares eram horríveis. E pela primeira vez vi pedir algo:

    “Tenho Sede”.

    Deram vinho barato, vinagre e a sua reação foi imediata. Ele gritou:

    “Tudo está pronto”.

    E então olhando para os céus sussurrou:

    “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”

    Não acreditei que ele tinha morrido, era muito pouco tempo de crucificação. Eles já pensavam em quebrar nossas pernas para acelerar a morte... mas sim ele já estava morto, os guardas também não acreditaram, um deles tomou uma lança e furou o seu lado, esguichou sangue misturado com água... sinal de sua morte.

    Mas como pode tão pouco tempo... Notei que ele não morreu... ele se entregou, ele quis morreu. Ai entendi as palavras: Tudo está pronto.

    Não precisava sofrer mais, não precisavam mais passar por aquilo, pois a sua obra está terminada, ele pagou  caro preço do pecado, do seu, do meu naquela cruz...

    O que aconteceu comigo....? Eu conto para vocês na próxima sexta...

    Mas ainda posso ouvir aquela voz maravilhosa: Hoje estará comigo no Paraiso...

    Abraços e Até Sexta que vem

    Eli “Batatinha” Müller

    DEIXE SEU COMENTÁRIO:

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS NOVIDADES DA JELB!

OK

JUVENTUDE EVANGÉLICA LUTERANA DO BRASIL © 2013 | Todos os direitos reservados.